Entrevista Especial com GERALDO CARNEIRO

 

 

 

Adaptar uma novela da magistral autora Janete Clair não é uma tarefa das mais fáceis, pelo contrário é um grande desafio, mas com a habilidade inconfundível que ele e Alcides Nogueira têm o resultado só podia ser sucesso. E foi um retumbante sucesso de público e crítica que o remake da novela “O Astro” entrou para a galeria como uma das melhores novelas da teledramaturgia brasileira. Os autores em companhia dos seus talentosos colaboradores: Tarcísio Lara Puiat e o nosso querido Vitor de Oliveira quebraram o tabu do fracasso que os remakes anteriores das obras de Janete Clair ostentaram - no caso as novelas “Selva de Pedra” (1986) e “Pecado Capital” (1998), e provaram que o talento deles aliado com a consagrada história criada pela novelista conquistou o Brasil e com a benção de Janete Clair será impossível esquecer. Meu entrevistado de hoje, além de ser co-autor do remake da novela “O Astro” que infelizmente chega ao fim nessa semana, também escreveu outras tramas de sucesso como: “Tudo em Cima” na extinta Rede Manchete e a minissérie “O Sorriso do Lagarto” na TV Globo. Mas não é só para TV que ele escreve, afinal, é também um grande poeta, tendo mais de 10 livros publicados, e ainda é um talentoso compositor, já que compôs músicas para ícones da música brasileira como: Tom Jobim, Miúcha, Vinicius de Moraes, Toquinho, Gal Costa, entre outros... O “No Mundo dos Famosos” tem a honra de entrevistar o autor GERALDO CARNEIRO.

 

“O que mais me agrada em ser roteirista é trabalhar com o desejo dos outros, ser refém do desejo dos outros...”

 

(Geraldo Carneiro)

 

 

 

Jéfferson Balbino: Como você descobriu sua vocação artística?

 

Geraldo Carneiro: Não me lembro. Nunca me imaginei fazendo qualquer coisa que não fosse arte, desde a infância. Aliás, eu era um menino arteiro, desde que me desentendo por gente. A princípio, pensei que meu território fosse à música. Depois a vida e os amigos foram me empurrando para a poesia.

 

 

Jéfferson Balbino: Seu pai foi secretário do presidente Juscelino Kubitschek, nessa época você ainda era criança, mas que lembranças você tem desse período de sua vida? Você chegou a conviver com esse marcante presidente?

 

Geraldo Carneiro: Convivi pouquíssimo. Lembro-me de ter ido duas vezes ao Palácio do Catete. A primeira para assistir à recepção aos craques da Copa de 58. Eu tinha 5 para 6 anos de idade, mas me lembro de conhecer a figura mítica do Pelé. E do presidente lembro-me de vê-lo passando, sempre veloz como um pássaro. 

 



Escrito por jéfferson às 17h36
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Entrevista Especial com GERALDO CARNEIRO

 

 

Jéfferson Balbino: Junto com o Eduardo Souto Neto você compôs músicas gravadas por grandes interpretes como: Vinicius de Moraes, Toquinho, Gal Costa, Ney Matogrosso, Lenine, Miúcha, Tom Jobim, entre outros. Como é a sensação de ser um grande compositor?

 

Geraldo Carneiro: Não sei se sou grande compositor e também não me considero. Mas escrevi muitas canções com parceiros como Egberto Gismonti (o mais freqüente: fizemos mais de cinqüenta canções juntos), Astor Piazzolla, Wagner Tiso, meu irmão Nando Carneiro, John Neschling e Francis Hime, com quem compus nos últimos vinte anos muitas dezenas de canções. Não faço a lista de todos os meus parceiros, porque seria imensa. Ultimamente tenho feito letras para meu querido amigo Danilo Caymmi. Uma delas, Canção do Amor Rasgado, está na trilha de O Astro. Tenho o maior apreço pelos meus parceiros, como o Eduardo Souto Neto, com quem comecei a compor aos dezesseis anos, e espero que minhas palavras tenham estado à altura da admiração que sinto pela música deles.

 


Jéfferson Balbino: Fale um pouco sobre sua participação na geração de poetas: “poesia marginal”.

 

Geraldo Carneiro: Sempre me considerei marginal entre os marginais. Tenho simpatia pelo movimento, mas nunca acreditei na premissa de que os clássicos são caretas. Os clássicos que sempre me interessaram – Shakespeare, Cervantes, Eurípedes – são muito doidos. Creio que minha participação no movimento foi acidental. Se não me engano foi minha querida Heloísa Buarque de Holanda quem inventou esse rótulo. Tenho a maior simpatia por ela, mas nunca me senti marginal.

 

 

Jéfferson Balbino: Você já publicou mais de 10 livros. Entre esses qual foi o mais trabalhoso?

 

Geraldo Carneiro: Todos me deram intenso prazer. O único que talvez tenha me dado trabalho foi um livro épico-burlesco chamado “Por Mares Nunca Dantes”. É um poema narrativo cujo protagonista é Luiz Vaz de Camões, que cai num buraco negro e vem parar no Rio de Janeiro, na Praça Mauá. Tive que suar a camisa pra escrever as falas de Camões. 

 



Escrito por jéfferson às 17h22
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Entrevista Especial com GERALDO CARNEIRO

 

 


Jéfferson Balbino: No Teatro você escreveu entre outras as peças: “Lola Moreno” em parceria com Bráulio Pedroso e “Apenas Bons Amigos” em parceria com o Miguel Falabella. O que você destacaria dessas ilustres parcerias?

 

Geraldo Carneiro: Adoro parcerias. Bráulio Pedroso inventou que eu era dramaturgo. Apaixonou-se por um texto que eu havia escrito por encomenda de Astor Piazzolla, sobre Evita Perón, em 75. E me chamou para escrever em parceria com ele a peça Lola Moreno, em 1978. Depois fomos parceiros na minissérie “Tudo em Cima”, da Rede Manchete, e eu acabei aprendendo a escrever para a TV. Bráulio foi um dos meus melhores amigos e devo a ele quase tudo que aprendi sobre dramaturgia. Conheci Miguel Falabella quando traduzi a peça “A Tempestade”, de Shakespeare, por encomenda do Pessoal do Despertar, grupo teatral do qual ele fazia parte. Depois escrevemos sketches para “Apenas Bons Amigos”, a pedido de Maria Padilha, nossa grande amiga comum. Mais tarde, ele me convidou para adaptar Lúcia McCartney, do Rubem Fonseca, para o teatro. É sempre uma alegria trabalhar com o Miguel. Meu próximo trabalho é escrever o roteiro de “A Casa dos Budas Ditosos”, em parceria com o autor do livro, meu amigo João Ubaldo Ribeiro.

 

Jéfferson Balbino: Você é graduado em Letras pela PUC-RJ. No que essa graduação contribuiu pra sua carreira?

 

Geraldo Carneiro: Não cheguei a me graduar pela PUC, embora tenha cursado todas as matérias sobre literatura da graduação e da pós. Passei sete anos na PUC, mas nunca me preocupei em tirar o diploma. Só quando me chamaram para dar aulas na universidade, em 1978, me dei conta da importância da falta dele. Depois dei algumas aulas de dramaturgia por lá. O período da PUC me permitiu conviver com algumas das grandes inteligências universitárias do Rio de Janeiro, de 72 a 78. Tenho uma relação muito feliz com a universidade, não só com a PUC, mas com quase todas as outras.  Hoje vou sempre lá e em outras universidades, para palestras e recitais.

 


Jéfferson Balbino: Além de poeta, compositor e dramaturgo você é também um conceituado roteirista. Já escreveu para o cinema e atualmente escreve pra TV. O que é mais fascinante na carreira de roteirista?

 

Geraldo Carneiro: O que mais me agrada em ser roteirista é trabalhar com o desejo dos outros, ser refém do desejo dos outros, receber uma encomenda. Brincar de ser outro. Me fantasiar com os trajes e as palavras dos personagens.

 

 

Jéfferson Balbino: Você também foi um dos responsáveis por criar o programa “Você Decide” (TV Globo/1992-2000). Como surgiu a idéia de criar esse programa de dramaturgia que foi inovador, já que permitia o telespectador interferir no rumo da história apresentada?

 

Geraldo Carneiro: O programa foi uma encomenda, uma idéia de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni. Chamaram alguns autores – Lauro César Muniz, José Antonio de Souza e eu – para procurar o formato. E eu talvez o tenha encontrado graças às indicações de Mário Lúcio Vaz. Eu fui apenas o cavalo de santo. Mas agüentei o espírito durante cerca de oito anos. 

 

Jéfferson Balbino: Entre os filmes que você roteirizou qual foi o que mais lhe agradou?

 

Geraldo Carneiro: Gostei de “O Judeu”, dirigido por Jom (é assim mesmo que se escreve) Tob Azulay. Cujo roteiro tive a alegria e o privilégio de escrever em parceria com meu querido amigo Millôr Fernandes. Foi uma farra.  Gostamos tanto da experiência que escrevemos outro, chamado “Mátria”, ainda não filmado.

 

Jéfferson Balbino: Como surgiu o convite pra você escrever a minissérie “Tudo em Cima” (Rede Manchete/1985)?

 

Geraldo Carneiro: A Rede Manchete queria que Bráulio Pedroso e eu escrevêssemos uma série. Tínhamos duas histórias e decidimos fundi-las. Foi o Bráulio que me inventou como dramaturgo, quando eu ainda era um pós-adolescente. Aliás, de lá pra cá não evoluí quase nada.   

 



Escrito por jéfferson às 17h05
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Entrevista Especial com GERALDO CARNEIRO

 

 

(Tarcisio Lara Puiat, Vitor de Oliveira, Alcides Nogueira, Geraldo Carneiro e Roberto Talma na coletiva de "O Astro") 

 

Jéfferson Balbino: Além de “Tudo em Cima”, você escreveu também as minisséries: “O Sorriso do Lagarto” (TV Globo/1991) e agora “O Astro” (TV Globo/2011). Você acredita que as minisséries, por ser um produto televisivo de alta qualidade, deformaram um pouco a telenovela, tornando seu público mais exigente?

 

Geraldo Carneiro: Tive a sorte de ter grandes parceiros em todas essas minisséries. Bráulio Pedroso, Walter Negrão e, last but not least, como se diz no português castiço de hoje em dia, Alcides Nogueira. Todos se tornaram meus brothers para sempre. 

 

Jéfferson Balbino: Em 2009, você escreveu o programa “Faça a Sua História” (TV Globo), que apesar de ser muito bom saiu da programação por conta da baixa audiência (conforme divulgado na imprensa). O que você acha que faltou no programa para atrair o publico e conquistar uma audiência maior? Ou o fato do programa concorrer com o reality-show “A Fazenda” (Rede Record/2009) foi o que ocasionou essa queda de audiência?

 

Geraldo Carneiro: Que eu saiba, o “Faça Sua História” só perdeu para o filme “Titanic”, em primeira exibição na TV. E mesmo assim foi páreo duro, o Leonardo di Caprio teve que rebolar. Nem sabia que o programa concorreu com “A Fazenda”. Mas, como diria Pascal, o mundo tem razões que a razão desconhece.

 

Jéfferson Balbino: E como está sendo a responsabilidade em adaptar a clássica novela “O Astro” que foi escrita pela inesquecível Janete Clair em 1977?

 

Geraldo Carneiro: Uma alegria. A idéia da releitura d’O Astro foi de Roberto Talma, meu querido amigo, com quem já trabalhei cinqüenta vezes. A TV Globo nos deu liberdade de recriá-la sem compromisso de fidelidade ao original. Roberto Talma é um dos meus melhores amigos e umas das principais referências da TV brasileira, pela inteligência e o talento. Foi ele quem teve a idéia. Com Mauro Mendonça Filho eu já havia trabalhado no teatro, numa adaptação de “A Megera Domada”, que Millôr e eu escrevemos a quatro mãos por encomenda dele. Sobre Alcides, falo no próximo capítulo.

 

Jéfferson Balbino: O remake de “O Astro” se tornou um grande sucesso e  conquistou o Brasil, mais a resposta que ainda paira no ar é sobre a identidade do assassino do Salomão Hayalla (Daniel Filho). Pode nos dar uma pista sobre a identidade do assassino?

 

Geraldo Carneiro: Esse é um segredo que não posso revelar, pra não estragar a graça do espectador.

 

Gernaldo Carneiro e Alcides Nogueira (Foto: João Miguel Junior/TV GLOBO)


 

Jéfferson Balbino: Como está sendo dividir a autoria com o nosso querido Tide (Alcides Nogueira)? Como é a divisão de trabalho de vocês?

 

Geraldo Carneiro: Alcides é um privilégio. Sou fã dele desde “Ópera Joyce” e o considero um dos maiores dramaturgos do teatro brasileiro. Sou encarregado das trilhas e escaletas, que é como chamamos, em linguagem técnica, as estruturas dos capítulos. O texto final é feito pelo Alcides e por mim.  Os primeiros 10 capítulos, escrevemos meio a meio, Alcides e eu. No capítulo 5 entrou o Tarcísio Lara Puiati, para nos ajudar, com grande talento.

 

Jéfferson Balbino: Uma das grandes revelações na autoria de “O Astro” está sendo o estreante colaborador Vitor de Oliveira, que além de grande profissional, mantém uma ótima sintonia com o público da novela através das redes sociais (Twitter, Facebook Orkut...). Que avaliação você faz do trabalho do nosso querido Vitor?

 

Geraldo Carneiro: No capítulo 11 entrou o Vitor de Oliveira, que tem sido brilhante em todas as suas intervenções. Além de ser o rei do twitter, coisa que admiro profundamente, porque sou debilóide internáutico. 

 



Escrito por jéfferson às 17h00
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Entrevista Especial com GERALDO CARNEIRO

 

 Geraldo Carneiro, com Maria Adelaide Amaral (vertical)

(Geraldo Carneiro e Maria Adelaide Amaral)

 

Jéfferson Balbino: Geraldo, eu como grande fã e eterno admirador da atriz Carolina Ferraz estou adorando ela interpretando a Amanda em “O Astro”.  Inclusive eu vivo perturbando o Vitor pra escrever muitas cenas românticas pra ela e o Herculano (Rodrigo Lombardi) (risos). O que você pode nos adiantar sobre o desfecho desse maravilhoso casal?

 

Geraldo Carneiro: Também adoro o casal Amanda e Herculano. Segundo Janete Clair, ela se separa por razões ideológicas. Espero que os deuses da dramaturgia os protejam e que eles vivam felizes para sempre. Pelo menos no éter de nossas memórias.  

 

Jéfferson Balbino: Você tem planos de escrever outras novelas?

 

Geraldo Carneiro: Como já disse, a graça de escrever roteiros, pra mim, é atender aos desejos dos outros. Adorarei escrever outras novelas.

 


Jéfferson Balbino: O papel do novelista se restringe apenas em contar boas histórias e conscientizar o público para os problemas sociais ou vai, além disso?

 

Geraldo Carneiro: Nunca me pensei especificamente como novelista, mas creio que qualquer escritor tem consciência de seus deveres pedagógicos. Mesmo que seja uma pedagogia pelo avesso.

 

Jéfferson Balbino: Como é o seu envolvimento com seus personagens? Tem algum que já lhe serviu de alter ego?

 

Geraldo Carneiro: Quase todos. Como dizia um pensador alemão: “Nada do que é humano me é estranho”.

 

Jéfferson Balbino: Antes de finalizarmos: Qual foi a melhor novela que você já assistiu?

 

Geraldo Carneiro: “O Rebu”, de Bráulio Pedroso. “Roque Santeiro”, de Dias Gomes. “Vale Tudo”, de Gilberto Braga e Aguinaldo Silva. Lamento por não poder fornecer outros palpites, porque nunca tive tempo para assistir continuamente muitas novelas. 

 

Jéfferson Balbino: Geraldo, super obrigado por conceder essa Entrevista ao “No Mundo dos Famosos”.  Foi um grande privilégio ter você aqui. Parabéns pela brilhante carreira, muito mais sucesso e um grande abraço!

 

Geraldo Carneiro: Eu é que agradeço, meu caro Jefferson. Valeu! Abraços.

 



Escrito por jéfferson às 16h52
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Entrevista Especial - NO MUNDO DOS FAMOSOS

 

OUTRAS ENTREVISTAS 

 

1 - NILSON XAVIER (escritor)

2 - MARGARETH BOURY (autora de novelas)

3 - REYNALDO BOURY (diretor de TV)

4 - BABI XAVIER (atriz/apresentadora)

5 - NÉLIO JÚNIOR (jornalista/repórter de TV)

6 - MARCÍLIO MORAES (autor de novelas)

7 - RICARDO LINHARES (autor de novelas)

8 - ANA MARIA MORETZSOHN (autora de novelas)

9 - DUCA RACHID (autora de novelas)

10 - ADA CHASELIOV (atriz)

11 - MAYRA DIAS GOMES (escritora)

12 - THELMA GUEDES (autora de novelas)

13 – ANDRÉ REBELLO (ator)

14 – KADU MOLITERNO (ator)

15 - MAURICIO MACHADO (ator)

16 - LAURO CÉSAR MUNIZ (autor de novelas)

17 - STELLA FREITAS (atriz)

18 - ALCIDES NOGUEIRA (autor de novelas)

19 - EDWIN LUISI (ator)

20 - MAURO ALENCAR (Doutor em Teledramaturgia/escritor)

21 - SOLANGE CASTRO NEVES (autora de novelas)

22 - WALTHER NEGRÃO (autor de novelas)

23 - BÁRBARA BRUNO (atriz)

24 - RENATA DIAS GOMES (autora de novelas)

25 - MATEUS CARRIERI (ator)

26 - LETÍCIA DORNELLES (autora de novelas)

27 - TAMARA TAXMAN (atriz)

28 - AIMAR LABAKI (dramaturgo/autor de novelas)

29 - LUCÉLIA SANTOS (atriz)

30 - FÁBIO FABRÍCIO FABRETTI (escritor)

31 - EDUARDO NASSIFE (escritor)

32 - ROSANE GOFMAN (atriz)

33 - CRISTIANNE FRIDMANN (autora de novelas)

34 - RODRIGO PHAVANELLO (ator)

35 - YOYA WURSCH (autora de novelas/roteirista)

36 - INGRA LIBERATO (atriz)

37 - JOÃO CAMARGO (ator)

38 - GILBERTO BRAGA (autor de novelas)

39 - DÉO GARCEZ (ator)

40 - PATRÍCIA MORETZSOHN (autora de novelas)

41 - BETH GOULART (atriz)

42 - MANOEL CARLOS (autor de novelas)

43 - VANESSA GOULARTT (atriz)

44 - DENISE EMMER (escritora)

45 - MARIA ADELAIDE AMARAL (autora de novelas)

46 - WALCYR CARRASCO (autor de novelas)

47 - LEONA CAVALLI (atriz)

48 - AZIZ BAJUR (dramaturgo)

49 - FÁTIMA FREIRE (atriz)

50 - VIVIAN DE OLIVEIRA (autora de novelas)

51 - JÉFFERSON BALBINO (blogueiro)

52 - SILVIO DE ABREU (autor de novelas)

53 - PEDRO NESCHLING (ator)

54 - JORGE BRASIL (jornalista)

55 - NORMA BLUM (atriz)

56 - DENISE DEL VECCHIO (atriz)

57 - RODRIGO ANDRADE (ator)

58 - LUCINHA LINS (atriz)

59 - CLAUDIO LINS (ator)

60 - NARJARA TURETTA (atriz)

61 - CLAUDINO MAYER (escritor/pesquisador em teledramaturgia)

62 - ANDRÉ FRATESCHI (ator)

63 - TUNA DWEK (atriz/escritora)

64 - TÂNIA BONDEZAN (atriz)

65 - GERALDO CARNEIRO (autor de novelas)

 

HISTÓRIAS DE NOVELISTAS

 

LAURO CÉSAR MUNIZ



Escrito por jéfferson às 16h48
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





SEMANA QUE VEM - Entrevista Especial com ROSAMARIA MURTINHO

Dia 30

A minha "Entrevista Especial" é com a atriz ROSAMARIA MURTINHO.

NÃO PERCA!



Escrito por jéfferson às 16h32
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.



Histórico:

- 26/01/2014 a 01/02/2014
- 19/01/2014 a 25/01/2014
- 12/01/2014 a 18/01/2014
- 05/01/2014 a 11/01/2014
- 29/12/2013 a 04/01/2014
- 22/12/2013 a 28/12/2013
- 08/12/2013 a 14/12/2013
- 01/12/2013 a 07/12/2013
- 24/11/2013 a 30/11/2013
- 17/11/2013 a 23/11/2013
- 10/11/2013 a 16/11/2013
- 03/11/2013 a 09/11/2013
- 27/10/2013 a 02/11/2013
- 20/10/2013 a 26/10/2013
- 13/10/2013 a 19/10/2013
- 06/10/2013 a 12/10/2013
- 29/09/2013 a 05/10/2013
- 22/09/2013 a 28/09/2013
- 15/09/2013 a 21/09/2013
- 08/09/2013 a 14/09/2013
- 01/09/2013 a 07/09/2013
- 25/08/2013 a 31/08/2013
- 18/08/2013 a 24/08/2013
- 11/08/2013 a 17/08/2013
- 04/08/2013 a 10/08/2013
- 28/07/2013 a 03/08/2013
- 21/07/2013 a 27/07/2013
- 14/07/2013 a 20/07/2013
- 07/07/2013 a 13/07/2013
- 23/06/2013 a 29/06/2013
- 16/06/2013 a 22/06/2013
- 09/06/2013 a 15/06/2013
- 02/06/2013 a 08/06/2013
- 19/05/2013 a 25/05/2013
- 12/05/2013 a 18/05/2013
- 05/05/2013 a 11/05/2013
- 28/04/2013 a 04/05/2013
- 21/04/2013 a 27/04/2013
- 14/04/2013 a 20/04/2013
- 07/04/2013 a 13/04/2013
- 31/03/2013 a 06/04/2013
- 24/03/2013 a 30/03/2013
- 17/03/2013 a 23/03/2013
- 10/03/2013 a 16/03/2013
- 24/02/2013 a 02/03/2013
- 17/02/2013 a 23/02/2013
- 10/02/2013 a 16/02/2013
- 27/01/2013 a 02/02/2013
- 20/01/2013 a 26/01/2013
- 06/01/2013 a 12/01/2013
- 23/12/2012 a 29/12/2012
- 09/12/2012 a 15/12/2012
- 02/12/2012 a 08/12/2012
- 11/11/2012 a 17/11/2012
- 04/11/2012 a 10/11/2012
- 28/10/2012 a 03/11/2012
- 21/10/2012 a 27/10/2012
- 14/10/2012 a 20/10/2012
- 07/10/2012 a 13/10/2012
- 23/09/2012 a 29/09/2012
- 26/08/2012 a 01/09/2012
- 19/08/2012 a 25/08/2012
- 22/07/2012 a 28/07/2012
- 15/07/2012 a 21/07/2012
- 01/07/2012 a 07/07/2012
- 24/06/2012 a 30/06/2012
- 17/06/2012 a 23/06/2012
- 10/06/2012 a 16/06/2012
- 03/06/2012 a 09/06/2012
- 27/05/2012 a 02/06/2012
- 20/05/2012 a 26/05/2012
- 13/05/2012 a 19/05/2012
- 06/05/2012 a 12/05/2012
- 29/04/2012 a 05/05/2012
- 22/04/2012 a 28/04/2012
- 08/04/2012 a 14/04/2012
- 01/04/2012 a 07/04/2012
- 25/03/2012 a 31/03/2012
- 18/03/2012 a 24/03/2012
- 11/03/2012 a 17/03/2012
- 04/03/2012 a 10/03/2012
- 26/02/2012 a 03/03/2012
- 19/02/2012 a 25/02/2012
- 12/02/2012 a 18/02/2012
- 05/02/2012 a 11/02/2012
- 29/01/2012 a 04/02/2012
- 22/01/2012 a 28/01/2012
- 15/01/2012 a 21/01/2012
- 08/01/2012 a 14/01/2012
- 25/12/2011 a 31/12/2011
- 18/12/2011 a 24/12/2011
- 11/12/2011 a 17/12/2011
- 04/12/2011 a 10/12/2011
- 27/11/2011 a 03/12/2011
- 20/11/2011 a 26/11/2011
- 13/11/2011 a 19/11/2011
- 06/11/2011 a 12/11/2011
- 30/10/2011 a 05/11/2011
- 23/10/2011 a 29/10/2011
- 16/10/2011 a 22/10/2011
- 02/10/2011 a 08/10/2011
- 25/09/2011 a 01/10/2011
- 18/09/2011 a 24/09/2011
- 11/09/2011 a 17/09/2011
- 04/09/2011 a 10/09/2011
- 28/08/2011 a 03/09/2011
- 21/08/2011 a 27/08/2011
- 14/08/2011 a 20/08/2011
- 07/08/2011 a 13/08/2011
- 26/06/2011 a 02/07/2011
- 12/06/2011 a 18/06/2011
- 05/06/2011 a 11/06/2011
- 22/05/2011 a 28/05/2011
- 08/05/2011 a 14/05/2011
- 24/04/2011 a 30/04/2011
- 17/04/2011 a 23/04/2011
- 10/04/2011 a 16/04/2011
- 03/04/2011 a 09/04/2011
- 27/03/2011 a 02/04/2011
- 20/03/2011 a 26/03/2011
- 13/03/2011 a 19/03/2011
- 06/03/2011 a 12/03/2011
- 27/02/2011 a 05/03/2011
- 13/02/2011 a 19/02/2011
- 06/02/2011 a 12/02/2011
- 30/01/2011 a 05/02/2011
- 23/01/2011 a 29/01/2011
- 16/01/2011 a 22/01/2011
- 09/01/2011 a 15/01/2011
- 02/01/2011 a 08/01/2011
- 26/12/2010 a 01/01/2011
- 19/12/2010 a 25/12/2010
- 12/12/2010 a 18/12/2010
- 05/12/2010 a 11/12/2010
- 28/11/2010 a 04/12/2010