Sessão Especial: CHIQUINHA GONZAGA

 

 

 

Para encerrar com ‘chave de ouro’ as nossas comemorações sobre os 60 anos da teledramaturgia brasileira, escolhemos pra homenagear a categoria, a minissérie “Chiquinha Gonzaga”, a qual eu sou suspeito pra falar, primeiro por ser amigo e grande admirador do autor da obra, o talentosíssimo Lauro César Muniz, segundo porque sou fanzoca da grande atriz Regina Duarte, que desempenhou uma interpretação esplendida, e em terceiro lugar porque foi à melhor minissérie que já assisti na minha vida, em suma, sou inveterado por esse clássico de nossa teledramaturgia e não via forma melhor de encerrar as comemorações promovidas pelo “No Mundo dos Famosos” a não ser dessa forma que é resgatando de nossa memória afetiva essa história que nos marcou de maneira totalmente especial.


CHIQUINHA GONZAGA... Uma Minissérie Inesquecível

 

 



Escrito por jéfferson às 18h53
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Sessão Especial: CHIQUINHA GONZAGA

 

 

DADOS TÉCNICOS

 

 

“Chiquinha Gonzaga”, como já disse anteriormente, foi escrita por Lauro César Muniz, com a colaboração de Marcílio Moraes, direção de Marcelo Travesso e Luiz Armando Queiroz, direção geral de Jayme Monjardim e direção geral de criação de Daniel Filho e direção de produção de Eduardo Figueira. A minissérie foi exibida entre 12 de Janeiro a 19 de Março de 1999, às 23 horas em 38 capítulos.

 

 



Escrito por jéfferson às 18h50
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Sessão Especial: CHIQUINHA GONZAGA

 

SINOPSE


 

Essa audaciosa trama tinha como contexto um painel histórico de 80 anos, traçado a partir da vida da maestrina Chiquinha Gonzaga, magistralmente interpretada por Gabriela Duarte, na primeira fase, e Regina Duarte, na segunda fase, e com isso a trama mostrava as origens da música popular brasileira, fazendo da minissérie um concerto digno das melhores notas. Além de traçar a saga da musicista revolucionária, mencionando seus amores polêmicos e sua arte magistral, a trama abordou também a luta da mulher para conquistar seu espaço na sociedade, afirmando mais uma vez a nobre característica do autor Lauro César Muniz que sempre mantém em sua teledramaturgia um cunho sócio-cultural onde sempre retrata com veracidade um contexto histórico importante. Lauro dividiu a história da vida da maestrina em duas partes, a primeira se passa no período compreendido entre os anos de 1863 a 1877, que é a fase mais efervescente da vida de Chiquinha, já que é neste período que ela enfrenta tudo e todos em prol da música. Já na segunda fase, ela já se tornou uma grande compositora, tendo conquistado muito sucesso e, principalmente, já é envolvida nos movimentos republicano e abolicionista.


 

A biografia de Chiquinha é rica em elementos dramáticos já que ela é filha de uma mulata com um oficial militar, numa época em que o trafico de escravos era proibida, embora ainda houvesse escravatura. A minissérie começa em 28/02/1935, numa homenagem teatralizada a Chiquinha Gonzaga, porém, que distorcia a verdade, que Chiquinha imediatamente relembra, mostrando ao público da minissérie sua verdadeira origem, sua mãe Rosa Maria (Solange Couto), uma negra que vivia um romance escondido com seu pai, o capitão José Basileu (Odilon Wagner), e com o nascimento de Chiquinha, o romance de seus pais foi atrapalhado, tanto que num primeiro momento o capitão sugeriu que Chiquinha fosse entregada pra adoção, porém, não tendo coragem suficiente para cometer tal ato, recua e arrependido da idéia resolve assumir diante da sociedade sua família, casando com Rosa e criando a filha com muito esmero, mas também com muita severidade. Alguns anos depois Chiquinha na flor da juventude e de alma livre e rebelde, tendo estudado com Maestro Lobo, e apesar da formação erudita no piano também se interessava por músicas africanas, já demonstrando ser a frente de seu tempo, é obrigada por seu pai a casar com Jacinto (Marcello Novaes), um oficial da Marinha que embora lhe ame muito a proíbe arbitrariamente de se envolver com música. Chiquinha e Jacinto tiveram três filhos, sendo estes: João Gualberto, Hilário e Maria do Patrocínio, e apesar disso não suportando a idéia do marido em se afastar da música ela decide abandonar o marido para viver com seu grande amor, o musico João Batista (Carlos Alberto Riccelli), o que foi um escândalo na época, Chiquinha embora tenha lutado em vão para ter seus filhos consigo, só conseguiu a guarda do filho mais velho. Chiquinha e JB viveram juntos por vários anos e tiveram uma filha, Alice Maria, mas devido às traições do companheiro, Chiquinha separa-se dele e da filha, já que JB não permite que Chiquinha crie a filha. JB mantém uma relação mal resolvida com Suzette, (interpretada por Danielle Winits na primeira fase, e na segunda, por Suzana Vieira), que é a proprietária do maior cabaré existente na corte. Para se manter, Chiquinha, vive em função da música, vivendo entre a classe artística marginalizada.

 

E, é nesses recantos da boemia que a musicista encontra apoio para compor e também popularizar ritmos genuinamente brasileiros, que é o samba e o chorinho. Com isso, mesmo sofrendo um grande preconceito da sociedade da época, Chiquinha Gonzaga conquistou seu sucesso pessoal, tornando-se a primeira pianista de choro, autora da primeira marcha carnavalesca e ainda a primeira mulher a Chiquinha é um intenso amor com Joãozinho (Caio Blat/Fábio Junqueira), que coincidentemente também se chamava João Batista, e que tinha idade para ser seu filho, sendo 36 anos mais novo que a musicista, os dois viveram juntos até o final da vida de Chiquinha. Um dos fatos mais interessantes do enredo dessa minissérie é a nossa protagonista já idosa assistindo uma espécie de ‘opereta-comica’ que narra episódios de sua vida obrigando-a repensar sua história. E morreu aos 84 anos, as vésperas do carnaval de 1935, porém, deixando a nós um grande legado.

 



Escrito por jéfferson às 18h48
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Sessão Especial: CHIQUINHA GONZAGA

 

ELENCO


 

A minissérie apresentava um elenco estrelar contando com grandes nomes da teledramaturgia brasileira entre eles: Regina Duarte, Gabriela Duarte, Carlos Alberto Riccelli, Marcello Novaes, Tânia Bondezan, Odilon Wagner, Daniela Escobar, Emiliano Queiroz, Gracindo Jr., John Herbert, Maria Ceiça, Fernanda Muniz. E contou com as participações especiais de Sérgio Britto e Rosamaria Murtinho.

 

 

 



Escrito por jéfferson às 18h44
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Sessão Especial: CHIQUINHA GONZAGA

 

CURIOSIDADES


 

- Um dos fatos interessantes que tomei conhecimento há pouco tempo através do Lauro César Muniz é que ele não chegou a escrever uma sinopse prévia, mas sim partiu direto para os capítulos, já que a minissérie foi produzida a ‘toque de caixa’.

- Outra curiosidade que o Lauro relatou a mim é que foram gravadas três cenas adicionais que encerraria o último capítulo, cenas essas que mostravam Chiquinha Gonzaga num camarote especial da Marquês de Sapucaí, no entanto ele em comum acordo com Daniel Filho e equipe optaram por finalizar o derradeiro capítulo naquela belíssima cena do olhar saudosista, porém, orgulhoso dessa grande maestrina. 

- Para envelhecer a atriz Regina Duarte em 35 anos, a produção da minissérie foi buscar em Hollywood o renomado maquiador David Press, que utilizou uma máscara de silicone para envelhecer o rosto da atriz.

- Foram utilizados 16 grandes cenários de estúdio para gravar a minissérie.

- Para mostrar o Rio de Janeiro antigo, no período que era ambientado a minissérie, além da preciosa reconstituição da cidade cenográfica, a TV Globo negociou os direitos de 40 imagens de Marc Ferrez, que retratavam a Cidade Maravilhosa no período que varia entre 1870 a 1900, usando a computação gráfica para dar movimento nas fotografias.

- Foram criados por Paulo Lois mais de mil figurinos para a minissérie.

- Marcus Vianna compôs para a minissérie a obra “Sinfonia de um novo Século”, que era tema central da história.

- No encerramento de cada capítulo aparecia grandes interpretes da musica brasileira cantando sucessos de Chiquinha Gonzaga, que eram exibidos acompanhando os créditos de encerramento dos capítulos e assim foi apresentado parte da vasta obra do legado dessa grande musicista na voz de renomados cantores como: Daniela Mercury, Cauby Peixoto, Ângela Maria, Ney Matogrosso, Emílio Santiago, Edu Lobo, Milton Nascimento, entre outros...

- A minissérie foi exibida em vários países como: Chile, Equador, Costa do Marfim, Honduras, França, Polônia, Portugal, Rússia, República Dominicana, Vietnã, Venezuela, entre outros...

- A minissérie obteve 31 pontos de média.

 



Escrito por jéfferson às 18h41
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Sessão Especial: CHIQUINHA GONZAGA

 

 

Em suma, “Chiquinha Gonzaga” foi uma mulher forte, teimosa e talentosa que respirava música, que teve uma imensa contribuição na história da música popular brasileira, sendo a primeira grande compositora que o Brasil produziu. A vida de Chiquinha muito se assemelha a vida de Machado de Assis, ambos possuidores de uma genialidade exuberante, enfim, a minissérie “Chiquinha Gonzaga” foi uma caprichada produção de época, que retratou com total maestria o cotidiano brasileiro da segunda metade do Séc.XIX, que enriqueceu nossos conhecimentos sobre a história do nosso país, além é claro, de nos emocionar, tocando fundo no nosso coração, principalmente, porque ao confrontarmos a história de vida dela com a nossa própria vida aprendemos lições fundamentais com essa épica personagem, como por exemplo, a lutar por nossos ideais, não deixando se abater com as peripécias impostas pelo destino. Uma minissérie inesquecível que marcou esses 60 anos de teledramaturgia brasileira.

 



Escrito por jéfferson às 18h40
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Sessão Especial: CHIQUINHA GONZAGA

 

BATE-PAPO COM O AUTOR LAURO CÉSAR MUNIZ


Confira abaixo um breve, porém, esclarecedor bate-papo com o grande mentor dessa maravilhosa minissérie, o autor Lauro César Muniz:

 

 

Jéfferson Balbino: Como foi seu trabalho de pesquisa para escrever essa minissérie? Houve alguma dificuldade?


Lauro César Muniz: Nenhuma dificuldade, Jéfferson. Eu tinha vários livros à minha disposição. Sobre a Chiquinha Gonzaga eu tinha 3 livros biográficos. Sobre a época, muitos e muitos, inclusive sobre a história da Música Brasileira.


Jéfferson Balbino: Quando eu te entrevistei você comentou comigo que a Chiquinha Gonzaga foi uma das melhores personagens que você escreveu pra TV. Porque ela é tão especial na sua carreira?


Lauro César Muniz: Chiquinha Gonzaga foi uma mulher liberada, corajosa, independente! Viveu numa época em que o lugar da mulher era servir o marido e quando solteira ficar discretamente na janela. Pois ela rompeu com tudo! E foi uma das pioneiras da música popular brasileira ao lado do grande Joaquim Callado. Foi republicana durante o império, foi abolicionista durante a escravatura, foi a favor do voto feminino já na velhice. Compôs a primeira marcha especialmente para o carnaval: O abre Alas é hoje o grande hino do carnaval brasileiro. E ainda ajudou a fundar a Sociedade Brasileira de Autores Teatrais, preocupada com os direitos autorais. Pode haver personagem mais fascinante?!


Jéfferson Balbino: Que avaliação final você faz da minissérie “Chiquinha Gonzaga” e da atuação magistral da atriz Regina Duarte?


Lauro César Muniz: Chiquinha Gonzaga fez um enorme sucesso! Um acerto total, com a supervisão do Daniel Filho, e um trabalho muito bom da Regina Duarte e da Gabriela. A minissérie já foi exibida 4 vezes: no lançamento em 1999, depois duas vezes no Canal Futura em 2009 e uma vez no Canal Viva em 2010.

 



Escrito por jéfferson às 18h37
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Sessão Especial: CHIQUINHA GONZAGA

 

 

Para compreendermos melhor a importância que a minissérie CHIQUINHA GONZAGA ocupa na história da Teledramaturgia Brasileira ouvimos dois importantes especialistas no assunto: Mauro Alencar e Claudino Mayer. 

 

 

"Nos acordes musicais da vida e obra da maestrina Chiquinha Gonzaga, pudemos conhecer com inspirado texto de Lauro César Muniz e impecáveis direção de Jayme Monjardim e produção da Rede Globo, as origens da Música Popular Brasileira. Mais uma vez, com intensidade e lirismo Regina Duarte sintetizou, ao representar a personagem- título, a luta da mulher para conquistar seu espaço na sociedade. Mas, desta vez, uma das atrizes mais representativas do mundo, dividiu os amores e a arte de sua personagem com a fiha Gabriela Duarte que, numa cuidadosa interpretação, imprimiu drama e paixão nas origens de Chiquinha Gonzaga e entregou com notável maestria a história da revolucionária compositora para os talentosos gestos e emoções de Regina Duarte."


MAURO ALENCAR

Academia de Artes e Ciências da Televisão, Nova York

Doutor em Teledramaturgia Brasileira e Latino-Americana – USP

Autor, entre outros livros, de A Hollywood Brasileira – Panorama da Telenovela no Brasil, Selva de Pedra, O Bem-Amado, Roque Santeiro e Vale Tudo.

 

 

 



Escrito por jéfferson às 18h29
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Sessão Especial: CHIQUINHA GONZAGA

 

"A minissérie foi importante porque trouxe fatos reais e acontecimentos do tempo e do espaço de uma das maiores compositora do Brasil, a partir da perspectiva de um autor teledramatúrgico. Chiquinha Gonzaga representava a cultura de um povo, desafiava a sociedade de sua época com suas idéias: na arte, nos amores e nos movimentos abolicionistas e republicanos.  Lauro César Muniz conseguiu recriar a vida social e cultural de Chiquinha Gonzaga numa multiplicidade de vozes do espaço a época da sua vida cotidiana. O tom dado por Muniz a criação dos personagens fictícios ou “reais” contribuíram para construir o mundo ficcional na tevê de Chiquinha Gonzaga, com todos os seus defeitos e estereótipos semelhantes ao mundo real da compositora. Muniz concentrou em si todo o seu processo criativo e deu voz as ações e atos da artista. O tom artístico de Muniz a minissérie permitiu ao telespectador conhecer um pouco mais das diversidades enfrentadas pela artista que buscava a sua posição e o reconhecimento social e, também, a de seu povo através das letras de suas composições. A escolha de Regina Duarte foi determinante para interpretar Chiquinha Gonzaga porque a atriz legitimou a criação do autor: na voz, nos gestos, na postura, pela auto-afirmação da atriz, no comportamento, entre outros elementos. O tom dado pela atriz a construção da personagem trouxe verossimilhança ao discurso do que o autor Lauro César Muniz queria enfatizar. A interpretação de Regina Duarte a personagem Chiquinha Gonzaga “fugiu” ao controle do criador, Muniz. A atriz fez com que a personagem tivesse vida própria e autonomia no seu desenvolvimento e percurso narrativo. A construção da personagem Chiquinha Gonzaga por Regina Duarte demonstrou que a compositora continua “viva” aos olhos de quem assistiu e/ou acompanhou a minissérie, lembrando suas lutas em busca dos seus ideais e por novas mudanças num processo constante de evolução. Duarte deu uma sobre vida a criação de Muniz ao construir Chiquinha Gonzaga. Por fim, a minissérie valeu: pela complexidade do roteiro, cenários, produção e direção de arte, direção artística, fotografia, maquilagem, construção dos personagens, entre ficção e realidade porque Muniz fez uma interpenetração dos cotidianos ficcionais e reais num intenso diálogo, entre outros elementos. A minissérie vale a pena ver de novo!" 

CLAUDINO MAYER

Doutorando em Teledramaturgia pela USP e autor do livro "Quem Matou... O Romance Policial da Telenovela"

 



Escrito por jéfferson às 18h12
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Sessão Especial: CHIQUINHA GONZAGA

Confira abaixo o depoimento do co-autor da minissérie, Marcílio Moraes:

 

 

“Fiquei muito feliz quando o Lauro me convidou para escrever com ele a minissérie ‘Chiquinha Gonzaga’. Era um trabalho difícil e o Lauro o resolveu com muito talento. Aproveito para mais uma vez parabenizá-lo por aquela obra, na qual minha contribuição foi modesta.”

MARCÍLIO MORAES

Autor, entre outras novelas, de “Sonho Meu”, “Essas Mulheres”, “Vidas Opostas” e “Ribeirão do Tempo”. 



Escrito por jéfferson às 18h02
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Sessão Especial: CHIQUINHA GONZAGA

Acompanhe a seguir, um vídeo com o exclusivo bate-papo de Jéfferson Balbino com a grande atriz REGINA DUARTE, onde ambos dialogam sobre a minissérie CHIQUINHA GONZAGA.

 



Escrito por jéfferson às 17h59
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Entrevista Especial com CACÁ DIEGUES - EM BREVE

EM BREVE...

 

 

Você irá conferir aqui NO MUNDO DOS FAMOSOS

Uma 'Entrevista Especial' com o grande cineasta brasileiro CACÁ DIEGUES

Não Perca!



Escrito por jéfferson às 17h29
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Entrevista Especial - NO MUNDO DOS FAMOSOS

 

OUTRAS ENTREVISTAS

 

1 - NILSON XAVIER (escritor)

2 - MARGARETH BOURY (autora de novelas)

3 - REYNALDO BOURY (diretor de TV)

4 - BABI XAVIER (atriz/apresentadora)

5 - NÉLIO JÚNIOR (jornalista/repórter de TV)

6 - MARCÍLIO MORAES (autor de novelas)

7 - RICARDO LINHARES (autor de novelas)

8 - ANA MARIA MORETZSOHN (autora de novelas)

9 - DUCA RACHID (autora de novelas)

10 - ADA CHASELIOV (atriz)

11 - MAYRA DIAS GOMES (escritora)

12 - THELMA GUEDES (autora de novelas)

13 – ANDRÉ REBELLO (ator)

14 – KADU MOLITERNO (ator)

15 - MAURICIO MACHADO (ator)

16 - LAURO CÉSAR MUNIZ (autor de novelas)

17 - STELLA FREITAS (atriz)

18 - ALCIDES NOGUEIRA (autor de novelas)

19 - EDWIN LUISI (ator)

20 - MAURO ALENCAR (Doutor em Teledramaturgia/escritor)

21 - SOLANGE CASTRO NEVES (autora de novelas)

22 - WALTHER NEGRÃO (autor de novelas)

23 - BÁRBARA BRUNO (atriz)

24 - RENATA DIAS GOMES (autora de novelas)

25 - MATEUS CARRIERI (ator)

26 - LETÍCIA DORNELLES (autora de novelas)

27 - TAMARA TAXMAN (atriz)

28 - AIMAR LABAKI (dramaturgo/autor de novelas)

29 - LUCÉLIA SANTOS (atriz)

30 - FÁBIO FABRÍCIO FABRETTI (escritor)

31 - EDUARDO NASSIFE (escritor)

32 - ROSANE GOFMAN (atriz)

33 - CRISTIANNE FRIDMANN (autora de novelas)

34 - RODRIGO PHAVANELLO (ator)

35 - YOYA WURSCH (autora de novelas/roteirista)

36 - INGRA LIBERATO (atriz)

37 - JOÃO CAMARGO (ator)

38 - GILBERTO BRAGA (autor de novelas)

39 - DÉO GARCEZ (ator)

40 - PATRÍCIA MORETZSOHN (autora de novelas)

41 - BETH GOULART (atriz)

42 - MANOEL CARLOS (autor de novelas)

43 - VANESSA GOULARTT (atriz)

44 - DENISE EMMER (escritora)

45 - MARIA ADELAIDE AMARAL (autora de novelas)

46 - WALCYR CARRASCO (autor de novelas)

47 - LEONA CAVALLI (atriz)

48 - AZIZ BAJUR (dramaturgo)

49 - FÁTIMA FREIRE (atriz)

50 - VIVIAN DE OLIVEIRA (autora de novelas)

51 - JÉFFERSON BALBINO (blogueiro)

52 - SILVIO DE ABREU (autor de novelas)

53 - PEDRO NESCHLING (ator)

54 - JORGE BRASIL (jornalista)

55 - NORMA BLUM (atriz)

56 - DENISE DEL VECCHIO (atriz)

57 - RODRIGO ANDRADE (ator)

58 - LUCINHA LINS (atriz)

59 - CLAUDIO LINS (ator)

60 - NARJARA TURETTA (atriz)

61 - CLAUDINO MAYER (escritor/pesquisador em teledramaturgia)

62 - ANDRÉ FRATESCHI (ator)

63 - TUNA DWEK (atriz/escritora)

64 - TÂNIA BONDEZAN (atriz)

65 - GERALDO CARNEIRO (autor de novelas)

66 - ROSAMARIA MURTINHO (atriz)

67 - VINCENT VILLARI (autor de novelas)

68 - TÁSSIA CAMARGO (atriz)

69 - YVES DUMONT (autor de novelas)

70 - ANDRÉ DI MAURO (ator)

71 - HERSCH W. BASBAUM (escritor e dramaturgo)

 

HISTÓRIAS DE NOVELISTAS

 

LAURO CÉSAR MUNIZ

 

SESSÃO ESPECIAL


Aniversário da autora MARIA ADELAIDE AMARAL

Jéfferson Balbino conversa com o ator LIMA DUARTE

Jéfferson Balbino conversa com a atriz REGINA DUARTE

 

 



Escrito por jéfferson às 17h25
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.





Próxima Entrevistada: ELIANA GUTTMAN

SEMANA QUE VEM...


Minha 'Entrevista Especial' é com a talentosa atriz ELIANA GUTTMAN

Aguardem



Escrito por jéfferson às 17h11
- Comente aqui


Deixe o seu comentário.



Histórico:

- 26/01/2014 a 01/02/2014
- 19/01/2014 a 25/01/2014
- 12/01/2014 a 18/01/2014
- 05/01/2014 a 11/01/2014
- 29/12/2013 a 04/01/2014
- 22/12/2013 a 28/12/2013
- 08/12/2013 a 14/12/2013
- 01/12/2013 a 07/12/2013
- 24/11/2013 a 30/11/2013
- 17/11/2013 a 23/11/2013
- 10/11/2013 a 16/11/2013
- 03/11/2013 a 09/11/2013
- 27/10/2013 a 02/11/2013
- 20/10/2013 a 26/10/2013
- 13/10/2013 a 19/10/2013
- 06/10/2013 a 12/10/2013
- 29/09/2013 a 05/10/2013
- 22/09/2013 a 28/09/2013
- 15/09/2013 a 21/09/2013
- 08/09/2013 a 14/09/2013
- 01/09/2013 a 07/09/2013
- 25/08/2013 a 31/08/2013
- 18/08/2013 a 24/08/2013
- 11/08/2013 a 17/08/2013
- 04/08/2013 a 10/08/2013
- 28/07/2013 a 03/08/2013
- 21/07/2013 a 27/07/2013
- 14/07/2013 a 20/07/2013
- 07/07/2013 a 13/07/2013
- 23/06/2013 a 29/06/2013
- 16/06/2013 a 22/06/2013
- 09/06/2013 a 15/06/2013
- 02/06/2013 a 08/06/2013
- 19/05/2013 a 25/05/2013
- 12/05/2013 a 18/05/2013
- 05/05/2013 a 11/05/2013
- 28/04/2013 a 04/05/2013
- 21/04/2013 a 27/04/2013
- 14/04/2013 a 20/04/2013
- 07/04/2013 a 13/04/2013
- 31/03/2013 a 06/04/2013
- 24/03/2013 a 30/03/2013
- 17/03/2013 a 23/03/2013
- 10/03/2013 a 16/03/2013
- 24/02/2013 a 02/03/2013
- 17/02/2013 a 23/02/2013
- 10/02/2013 a 16/02/2013
- 27/01/2013 a 02/02/2013
- 20/01/2013 a 26/01/2013
- 06/01/2013 a 12/01/2013
- 23/12/2012 a 29/12/2012
- 09/12/2012 a 15/12/2012
- 02/12/2012 a 08/12/2012
- 11/11/2012 a 17/11/2012
- 04/11/2012 a 10/11/2012
- 28/10/2012 a 03/11/2012
- 21/10/2012 a 27/10/2012
- 14/10/2012 a 20/10/2012
- 07/10/2012 a 13/10/2012
- 23/09/2012 a 29/09/2012
- 26/08/2012 a 01/09/2012
- 19/08/2012 a 25/08/2012
- 22/07/2012 a 28/07/2012
- 15/07/2012 a 21/07/2012
- 01/07/2012 a 07/07/2012
- 24/06/2012 a 30/06/2012
- 17/06/2012 a 23/06/2012
- 10/06/2012 a 16/06/2012
- 03/06/2012 a 09/06/2012
- 27/05/2012 a 02/06/2012
- 20/05/2012 a 26/05/2012
- 13/05/2012 a 19/05/2012
- 06/05/2012 a 12/05/2012
- 29/04/2012 a 05/05/2012
- 22/04/2012 a 28/04/2012
- 08/04/2012 a 14/04/2012
- 01/04/2012 a 07/04/2012
- 25/03/2012 a 31/03/2012
- 18/03/2012 a 24/03/2012
- 11/03/2012 a 17/03/2012
- 04/03/2012 a 10/03/2012
- 26/02/2012 a 03/03/2012
- 19/02/2012 a 25/02/2012
- 12/02/2012 a 18/02/2012
- 05/02/2012 a 11/02/2012
- 29/01/2012 a 04/02/2012
- 22/01/2012 a 28/01/2012
- 15/01/2012 a 21/01/2012
- 08/01/2012 a 14/01/2012
- 25/12/2011 a 31/12/2011
- 18/12/2011 a 24/12/2011
- 11/12/2011 a 17/12/2011
- 04/12/2011 a 10/12/2011
- 27/11/2011 a 03/12/2011
- 20/11/2011 a 26/11/2011
- 13/11/2011 a 19/11/2011
- 06/11/2011 a 12/11/2011
- 30/10/2011 a 05/11/2011
- 23/10/2011 a 29/10/2011
- 16/10/2011 a 22/10/2011
- 02/10/2011 a 08/10/2011
- 25/09/2011 a 01/10/2011
- 18/09/2011 a 24/09/2011
- 11/09/2011 a 17/09/2011
- 04/09/2011 a 10/09/2011
- 28/08/2011 a 03/09/2011
- 21/08/2011 a 27/08/2011
- 14/08/2011 a 20/08/2011
- 07/08/2011 a 13/08/2011
- 26/06/2011 a 02/07/2011
- 12/06/2011 a 18/06/2011
- 05/06/2011 a 11/06/2011
- 22/05/2011 a 28/05/2011
- 08/05/2011 a 14/05/2011
- 24/04/2011 a 30/04/2011
- 17/04/2011 a 23/04/2011
- 10/04/2011 a 16/04/2011
- 03/04/2011 a 09/04/2011
- 27/03/2011 a 02/04/2011
- 20/03/2011 a 26/03/2011
- 13/03/2011 a 19/03/2011
- 06/03/2011 a 12/03/2011
- 27/02/2011 a 05/03/2011
- 13/02/2011 a 19/02/2011
- 06/02/2011 a 12/02/2011
- 30/01/2011 a 05/02/2011
- 23/01/2011 a 29/01/2011
- 16/01/2011 a 22/01/2011
- 09/01/2011 a 15/01/2011
- 02/01/2011 a 08/01/2011
- 26/12/2010 a 01/01/2011
- 19/12/2010 a 25/12/2010
- 12/12/2010 a 18/12/2010
- 05/12/2010 a 11/12/2010
- 28/11/2010 a 04/12/2010